Nuno Caetano web

3 de OUTUBRO a 2 de NOVEMBRO

 Sala Afonso Cruz | Entrada gratuita

Rasgos no tempo o peito das minhas memórias. Grito no vento vida e estórias.

São rasgos rasgados, onde o Tempo rasga o Tempo e eu me Rasgo no Tempo.

São Rasgos no Tempo e sem nós que me guardam de tantos revés onde grito o silêncio e o tempo sem voz.

Rasgo o tempo que me enlouquece a cada momento em que o horizonte desvanece.

São Tempos guardados.

São Tempos de Rasgos no Tempo. Abro as mãos, abraço o momento, escuto o vento.

São rasgos no tempo que me devoram, guardam, demoram, e abraçam o pensamento.

O Tempo é infinito e tão finito que me deixa louco de tanto querer encontrar Tempo no Tempo.

É no isolamento do Tempo que o Tempo rasga e bebe o meu corpo.

A liberdade e a vida que Rasgo no Tempo a cada rasgo no peito.

E porque se trata de uma busca permanente tão minha, deixo o silêncio e o tempo me invada para perceber o Tempo que me faz sentir no Tempo.

São rasgos no Tempo em mim, de um silêncio em silêncio Rasgado no Tempo sem fim….

 

Nuno Caetano

Sala Afonso Cruz | Entrada gratuita

 


 

cmffpb