Exposições

Cartaz castanheira cenografia web

Exposição Retrospetiva da Obra Cenográfica de José Manuel Castanheira

 

21 de OUTUBRO a 14 de JANEIRO

Sala 2 e 3 | Entrada gratuita

 

José Manuel Castanheira (Castelo Branco, 1952) é arquiteto, cenógrafo, pintor e professor. Conta com mais de 250 criações cenográficas (teatro, ópera, cinema, dança) tendo trabalhado em 13 países com 80 encenadores.

As cenografias de José Manuel Castanheira conjugam o exterior e o interior com uma arte consumada, mas secreta, poderosa e desconcertante. Propõem composições mentais. Mantêm no palco a coabitação da natureza e da cultura, que a vida muitas vezes desassocia e só o palco alia. Castanheira não foi, como tantos outros cenógrafos, o companheiro privilegiado de um único encenador e, quando se olha para a sua “obra”, efetua-se uma verdadeira visita ao panorama teatral português. Quanto à sua fidelidade, não a consagrou a um companheiro único mas ao teatro, uma vez que o conjunto de cenografias que se estende diante dos nossos olhos testemunha uma verdadeira disponibilidade, uma confiança nunca desmentida na expressão de um artista livre que pode passar sem restrição da arborescência barroca à redução íntima, da expansão dos materiais “cénicos” cujo artifício é assumido à virtude moral dos trabalhos em madeira e dos tecidos presentes na sua expressão mais pura. A sua “obra” não se situa sob o signo do único, mas do múltiplo, do heterogéneo, do diverso, em suma, de uma energia visual que não deixa de deslumbrar sem nunca se esgotar.

Georges Banu

(excerto adaptado do prefácio “Uma obra cenográfica, uma verdadeira obra” in CASTANHEIRA-CENOGRAFIA)

 

No dia 4 de novembro, pelas 15h30, no Pequeno Auditório, irá ter lugar uma conversa sobre “Arquitetura Efémera”, com a presença do arquiteto José Manuel Castanheira e alguns convidados, seguida de visita guiada à exposição “44 Anos de Cenografia”.

 

entrada gratuita.

Horário:

De segunda a quinta-feira: 9h00 às 23h00

Sexta-feira: 9h00 às 24h00

Sábados: 10h00 às 24h00

Domingos e Feriados: 10h00 às 19h00

Dias de espetáculo: até ao final do espetáculo

 

Gentes do Mar

 Continuao FDFP 

POR DENTRO E POR FORA

Fernando d’F. Pereira

 

30 de NOVEMBRO a 3 de JANEIRO

Sala Zé Penicheiro | Entrada gratuita

 

Fernando d’F. Pereira desenvolve uma carreira profissional ao longo de mais de 30 anos, com atelier em Mannheim, cidade que inspirou a sua criatividade, a partir da qual realiza várias exposições individuais e coletivas, pinturas murais e esculturas, sendo a sua obra objeto de recensão critica em diversos países. Em Portugal tem o seu espaço de trabalho no Reguengo Pequeno.

Imaginar, recriar, formatar, desconstruir são algumas das provocações que a obra de Fernando d’F Pereira nos propõe.

Estamos perante um “mundo” intenso, formatado numa estética ondulante de cores e formas, onde o acaso parece dominar a mão do artista; formas e figuras nascem de uma relação com a clássica técnica de óleo, que desde sempre se inscreve na forma de expressão do autor, aliada a um domínio dos materiais sintéticos.

A transparência advém do suporte em que a obra é realizada - “plexiglas” - criando uma cenografia para a imagética que resulta de gestos largos dominados de cor.

Ana Maria Calçada

 

 

 

 4

INCONVENCIONAL

António Ramos

5 de DEZEMBRO a 4 de JANEIRO

Sala Afonso Cruz | Entrada gratuita

O trabalho de António Ramos tem sido baseado na natureza. Contudo, atualmente tem estado mais direcionado para a fotografia artística (arte de fotografar de maneira não convencional, mas que não exige preocupação de retratar a realidade). A exposição “Inconvencional” mostra este lado do autor.

 

 


 

cmffpb