Exposições

159 32x46x9cm 2017 web

22 de JUNHO a 30 de SETEMBRO

Sala 2 | Entrada gratuita

O luar da montanha

suavemente ilumina

o ladrão de flores.

RUI MATOS

“A minha escultura não faz relatos sociais e jornalísticos do momento em que vivemos, nem desenvolve elaborados discursos filosóficos e conceptuais. Talvez por isso o título da exposição recorre a um poema Haicu da tradição japonesa dos poemas curtos, simples e precisos. Tal como os poemas Haicu, a minha escultura expressa os pensamentos na forma de mitos, símbolos, paradoxos e imagens poéticas.

Se todos os poemas têm uma interpretação de quem os escuta, eu vejo a montanha como algo muito maior que nós e que nos transcende, a luz do luar o médium criativo que me dá a ver as imagens fantasma que eu depois, como escultor, dou corpo, e o ladrão de flores só pode ser o artista que se apropriou de toda a história de arte e que se apropria das sensações, sentimentos e imagens da sua época.” 

Rui Matos

 

Horário:

De segunda a quinta-feira: 9h00 às 23h00

Sexta-feira: 9h00 às 24h00

Sábados: 10h00 às 24h00

Domingos e Feriados: 10h00 às 19h00

Dias de espetáculo: até ao final do espetáculo

 

cae rodap

Gentes do Mar

 

 

 Nelson Menezes

27 de JULHO a 7 de OUTUBRO

Sala Afonso Cruz | Entrada gratuita

Nelson Menezes nasceu em Luanda, em 1953. Atualmente reside em Cantanhede.
A sua primeira máquina fotográfica, uma Agfa Silette LK Sensor, foi-lhe oferecida pelos pais quando tinha apenas 16 anos. Foi com ela que descobriu, de forma espontânea e natural, a paixão e o prazer pela fotografia.
Faz parte do grupo fotográfico Visão Mestre, tendo sido através dele que participou em diversas exposições a nível nacional.
Não se assumindo como fotógrafo profissional, ganhou já vários prémios e distinções, quer na categoria preto e branco, quer na categoria cores.

cae rodap

 

cmffpb